Mulher dá à luz gêmeos, e um nasce empelicado em SC; entenda parto raro

Mulher dá à luz gêmeos, e um nasce empelicado em SC; entenda parto raro
Augusto nasceu empelicado com 32 semanas em Santa Catarina — Foto: PolyFotografias/redes sociais

Uma mulher de 32 anos deu à luz a gêmeos e um deles nasceu empelicado na quarta-feira (7) em Blumenau, Santa Catarina. O parto raro ocorreu após uma das bolsas estourar. Os bebês, dois meninos, nasceram com 32 semanas.

A mãe das crianças, Samara Effting Vieira, divulgou que Bernardo foi o primeiro a nascer. Logo depois nasceu Augusto, dormindo e envolvido pela bolsa amniótica. Ele acordou somente depois que a bolsa foi rompida pela equipe médica.

A mãe também publicou que ambos estão internados em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para aprender a respirar e ganhar peso. "Logo estarão em nossos braços", escreveu.

Segundo a obstetra Stephani de Brito, que acompanhou a gestação de Samara, partos empelicados são considerados raros, mas são mais comuns em casos como o da paciente: quando há gêmeos e em nascimentos prematuros.

Conseguimos fazer com que ele saísse dentro da bolsa, empelicado. A gente opta sempre que possível por realizar esse tipo de parto, nesses casos, porque sabemos que tem um benefício principalmente de proteção contra traumas na retirada desse bebê, explicou.

Nascimentos raro

O nascimento de um bebê empelicado é considerado raro no mundo da obstetrícia, segundo os especialistas. A criança que nasce nesta condição fica envolta pela bolsa amniótica que a protege e o ajuda na alimentação durante as 40 semanas, em média, de uma gestação.

Situações assim são raras, uma vez que o saco gestacional estoura quando o bebê está prestes a nascer, inclusive em procedimentos como a cesárea. Após o parto, a bolsa é rompida pelo médico e a criança retirada.

Fonte:  Clarìssa Batìstela e Talita Catie, g1 SC e NSC