Menina de 13 anos denuncia mãe e padrasto por abandono após levar surra em bar no litoral de SP

Menina de 13 anos denuncia mãe e padrasto por abandono após levar surra em bar no litoral de SP
Mãe é acusada de maltratar e abandonar três filhas e sete animais junto com o marido, em Itanhaém (SP) — Foto: Departamento de Proteção e Bem-estar Animal de Itanhaém/Divulgação

Uma menina, de 13 anos, foi agredida pelo padrasto em um bar em Itanhaém, no litoral de São Paulo. Após as agressões, conforme apurado pelo g1 junto com a Polícia Civil, a adolescente e a irmã, de 12, acionaram a Polícia Militar (PM) e a Guarda Civil Municipal (GCM). O homem e a mulher foram presos em flagrante por maltratar e abandonar três crianças e sete animais.

Os dois passaram por audiência de custódia e responderão os crimes em liberdade. As enteadas do acusado e filhas da mulher, de 13 e 12, estão sob responsabilidade do Conselho Tutelar. A criança, de 10, é filha do casal e está com a avó paterna. Os animais foram resgatados, receberam tratamento e alguns já estão em lares temporários. O caso é investigado pela Delegacia de Polícia da cidade.

As crianças relataram aos policiais que as agressões eram constantes. Por este motivo, a menina, de 13 anos, saiu de casa e foi morar com uma amiga. No dia em que denunciou o casal, ela foi encontrar a irmã, de 12, em um bar e foi agredida com tapas e empurrões pelo padrasto. A mãe também estava no local.

À polícia, o homem disse que agrediu a menina porque queria forçá-la a voltar para casa. Além disso, conforme apurado pela autoridade policial junto ao Conselho Tutelar, o casal seria usuário de drogas e estavam alcoolizados.

Animais

As crianças relataram a situação dos animais e os policiais foram até a casa da família. A reportagem teve acesso ao relatório do Departamento de Proteção e Bem-estar Animal da cidade. De acordo com o documento, foram encontrados três cães adultos, três filhotes e um gato filhote em uma casa no bairro Jardim Suarão. Segundo o relatório, eles corriam risco de morte.

O local, conforme relatado, era inadequado para os animais viverem. Eles não tinham acesso a comida, água e estavam vulneráveis as condições climáticas, já que não havia abrigo para se protegerem da chuva ou sol.

Após avaliação clínica, os animais foram diagnosticados com caquexia [doença que envolve perda de peso e massa muscular]; desnutrição, desidratação, anemia intensa, abdômen inchado por verminoses, dermatites por falta de higiene e infestação de pulgas e carrapatos.

O g1 tentou contato com o Conselho Tutelar, Ministério Público, Polícia Militar (PM) e Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), mas não teve retorno até a última atualização desta reportagem.

Fonte: G1